· 

PROJETE A VIAGEM DE SEUS SONHOS : HOJE : JERICOACOARA

Um lugar místico, de belezas naturais ímpares e bastante popular entre os que procuram sossego. Com sol o ano todo e ambiente aconchegante, o lugar está preparado para receber turistas que buscam uma experiência diferente.

Entre dunas, mar, lagoas e mangues, a vila de Jeri é um refúgio diante da modernidade das grandes cidades e do agito diário. Por lá não há iluminação pública, necessidade de carros ou ruas calçadas - tudo é de areia. No ar é perceptível a simplicidade e um acohimento, que faz muita gente se sentir em casa. 

Jericoacoara: quando ir

A melhor época para ir a Jericoacoara é o segundo semestre: de julho a dezembro, praticamente não chove.

Em janeiro e fevereiro, porém, já pode nublar mais do que você gostaria, e até mesmo chover.

Historicamente, os meses mais chuvosos são março e abril, quando a precipitação costuma atingir 300 mm. Maio também pode ser chuvoso, mas um pouco menos: a precipitação média é de 200 mm.

Jericoacoara, atração por atração

Praia da vila

A praia em frente à vila tem uma faixa de areia que alarga e encurta de acordo com as marés. A areia é escura. A água é rasinha, com ondas intermitentes mas inofensivas (dá para fazer stand-up paddle)

À direita da vila, este trecho é o endereço do melhor point para passar um dia ao sol: o Club Ventos, instalado sobre um barranco, com vista privilegiada dos windsurfistas (e também dos SUPeiros) em ação.

Pôr do sol

Em Jericoacoara o sol se põe no mar. O espetáculo pode ser apreciado de qualquer ponto da orla. Mas há três pontos especiais.

Pôr do sol na Duna

Pôr do sol no rooftop do Café Jeri

Pôr do sol na Pedra Furada

Pedra Furada

O caminho pela beira-mar é o mais curto: dá meia hora de caminhada a partir do canto direito da vila. Este caminho, porém, só é possível durante a maré baixa. Se você sair até 90 minutos antes do horário do nível mínimo da maré, vai conseguir ir e voltar pela praia.

O melhor momento para ir à Pedra Furada é de manhã, quando o sol ilumina a Pedra. À tarde e ao pôr do sol a Pedra estará contra o sol (e só vai ficar mega-fotogênica entre meados de junho e fim de julho, quando o sol se põe 'dentro' do furo).

Lagoa de Jijoca

Sabe aquelas fotos de praias de areia branquíssima, com redes semi-mergulhadas na água caribenha, que vêm com a legenda 'Jericoacoara'

Passar o dia na lagoa é o melhor programa para quem não vai passear de bugue . Escolha um clube de praia ou restaurante e aproveite.

Quando está cheia, a Lagoa de Jijoca é uma só. Na época seca, costuma se dividir em duas. Isso faz com que dois trechos sejam chamados por nomes próprios, como se fossem lagoas diferentes.

O trecho conhecido com o Lagoa do Paraíso fica próximo à vila de Jijoca e concentra os clubes de praia e pousadas. Dá para ir à Lagoa do Paraíso de jardineira saindo de Jeri.

Um outro trecho, conhecido como Lagoa Azul, fica na outra margem, com acesso mais fácil pela vila do Preá. Não tem restaurantes, mas barracas de praia. A Lagoa Azul costuma entrar no roteiro dos passeios de bugue ao leste.

Passeios de bugue e caminhonete

Entre os visitantes que não estão em Jeri para fazer kite ou wind, os passeios de bugue são os programas favoritos. Nos últimos anos, provavelmente por influência dos Lençóis Maranhenses, também se estabeleceram os passeios de caminhonete adaptada como jardineira. Os roteiros são os mesmos: para o leste e para o oeste.

 

 

Passeio ao leste

 

O roteiro normalmente inclui:

Passagem pela Pedra Furada (no alto do morro; se quiser, você pode descer a pé)

Praia do Preá, dos kitesurfistas (sem parada)

Parada na Árvore da Preguiça

Dunas e lagoa da Barrinha, uma paisagem com cara de Lençóis Maranhenses

Lagoa Azul em Jijoca (com parada)

De bugue, você pode pedir para que o almoço seja num dos restaurantes da Barrinha (Komaki, mais arrumado, ou Bello, mais roots). Pode também negociar um horário de saída que permita passar pela Pedra Furada na volta, ao pôr do sol

Passeio ao Oeste

O roteiro normalmente inclui:

Praia de Mangue Seco, com parada

Travessia do rio Guriú em balsa

Opcional: passeio de canoa pelo rio Guriú até a colônia de cavalos-marinhos

Lago Grande em Tabajuba, com parada nas barracas com redes montadas dentro d'água

O almoço normalmente é numa das barracas do Lago Grande. De bugue, você pode pedir para parar na Casa Uca, um beach lounge/restaurante de uma pousada descolada.

Kitesurf e windsurf

O windsurf, primeiramente, e depois o kitesurf foram os agentes principais da transformação de Jeri de fim de mundo a vilarejo cosmopolita.

Durante a temporada dos ventos, de meados de julho a janeiro, velejadores do mundo inteiro invadem a costa do Nordeste voltada para o norte

Delta do Parnaíba e Lençóis Maranhenses

Jericoacoara é ponto de partida (ou de chegada) para a Rota das Emoções, um roteiro que combina Jeri com o Delta do Parnaíba e Lençóis Maranhenses (e pode proporcionar uma parada na charmosa Barra Grande do Piauí).

Já é possível alugar carro em Jericoacoara. Também dá para seguir de trânsfer privado, trânsfer compartilhado ou mesmo ônibus (com baldeações).

 NOITE EM JERI

QUANDO QUER VIAJAR

PERGUNTE-NOS

TEMOS HOTÉIS; HOSTELS; E CASAS EM CONDOMÍNIOS

paraisosyplaceres@gmail.com

Escribir comentario

Comentarios: 0

Quiénes somos

Somos un grupo de tres generaciones enamorados de Arraial D´Ajuda que vive en Argentina pero va y viene muchas veces

Marga Artero, mi hija Marisol y mi nieta Sofia Soncin y la invalorable ayuda de Sergio Bonfiglio

Colaboradores especiales:

Clovis Heberle con su blog  https://clovisheberle.blogspot.com.ar

Maria Silva Leal Leal

Rosana Calzeta

Vagner Beraldo

 

 

Un agradecimiento especial a Guillermo Artero, mi papá  un gran escritor que siempre me alentó a hacer cosas novedosas

 

 BUENOS AIRES

MARGA ARTERO

paraisosyplaceres@gmail.com

Whatsapp   +54 911 5851 6484

 

 

 ARRAIAL D´AJUDA

SERGIO BONFIGLIO

sdbonfiglio@hotmail.com

Whatsapp  +55 73 98157 8507


Desde Rio de Janeiro para Brasil y el mundo

Paula Menezes

Socia Directora 

Feelings Turismo

Consultas

paraisosyplaceres@gmail.com